Convento de São João de Deus

Convento de São João de Deus

Goa [Velha Goa], Goa, Índia

Arquitetura religiosa

O Convento de São João de Deus localiza ‑se no Monte Santo, a ocidente do centro da desaparecida cidade de Velha Goa. Foi edificado pelos membros da ordem de leigos de São João de Deus, chegados à Índia em 1685, e teve origem em duas casas adquiridas em 1690, situadas mesmo em frente ao Convento de Nossa Senhora da Graça. A construção do atual edifício deve ter sido iniciada logo depois. Pouco mais se sabe acerca deste edifício e da sua evolução. Segundo José Nicolau da Fonseca, o convento foi adquirido em 1844 pelas freiras do Convento de Santa Mónica, para residência dos capelões, confessores e demais pessoal - o que se revela surpreendente, pois nove anos antes, os conventos tinham sido extintos, ficando o de Santa Mónica proibido de admitir mais noviças. O mesmo autor escreve que o telhado da igreja tinha sido removido em 1850, devido à necessidade de obras. À data da publicação, em 1878, a igreja ainda não tinha telhado e o convento, parcialmente destruído, encontrava ‑se abandonado. Francisco Xavier Costa menciona a continuação (da reconstrução?) da cobertura da igreja na lista dos restauros de 1952, para além de reparações e pintura no Convento de São João de Deus. Hoje, o convento é utilizado como lar de idosos. A igreja, de evocação de Nossa Senhora do Bom Sucesso, encerra o volume do convento do seu lado norte. As fachadas da igreja e do convento constituem um plano contínuo, voltado a ocidente, e frente a frente com as ruínas do convento agostinho de Nossa Senhora da Graça. A igreja apresenta uma típica fachada‑empena goesa de três tramos em dois pisos, embora com apenas um portal central - e não os usuais três - um pano adicional central, ladeado por panos curvados e sobrepujado por um frontão clássico triangular. Duas torres de três pisos ladeiam a fachada. As janelas, tanto da fachada como das torres, têm uma configuração muito semelhante, em forma de edícula. Esta uniformização dos vãos - que mais uma vez demonstra a tendência na arquitetura cristã goesa para a uniformização dos seus elementos - contraria a distinção volumétrica entre fachada‑empena e torres, originando uma grande ambiguidade na leitura desta fachada. O edifício do convento, de dois pisos, é constituído por quatro volumes à face, mas destacados visual mente na fachada por pilastras e na cobertura pelos telhados múltiplos de quatro águas - os chamados telhados de pagode, característicos da arquitetura conventual e palaciana de Goa, mas de que entretanto já existem poucos exemplares. O convento ainda mantém grande parte da estrutura edificada.

Loading…