Forte de São Sebastião

Forte de São Sebastião

Vasai Fort (Baçaim/Baçaím/Bassaim/Bassein), Maharashtra, Índia

Arquitetura militar

A fortificação de São Sebastião foi a primeira estrutura defensiva construída pelos portugueses em Baçaim, após receberem aquele território do Sultanato de Gujarate, em 1534. Com o crescimento da povoação em redor do forte, iniciou ‑se cerca de vinte anos mais tarde um novo perímetro abaluartado, de maior circuito. Contudo, esta nova linha de defesa levou várias décadas a ficar concluída e até ao alvorecer de Seiscentos, o Forte de São Sebastião era o verdadeiro reduto da cidade. Depois deixou de ter valor estratégico, apesar de se manter como residência do capitão de Baçaim. O seu estado de conservação é relativamente bom, salientando‑se o da sua porta principal. O Forte tem uma implantação poligonal irregular, com três baluartes redondos, um reduto retangular, que incorpora a porta principal, e ainda um ângulo sem baluarte, onde se localizava a casa do capitão. São difíceis de determinar as causas de tal morfologia. Contudo, existem fortes indicações de que os portugueses aproveitaram elementos de uma fortificação preexistente, construída alguns anos antes da cedência de Baçaim. A escrever por volta de 1635, António Bocarro refere que a cidade "tem dentro, pegado com a igreja da Misericórdia, umas casas onde vive o capitão, com uma cerca de ladrilho velha, onde parece que os mouros, cuja foi, se agazalhavam, com um baluarte redondo de pedra, que fica sobre o pelourinho". Por outro lado, um relatório do Archaeological Survey of India de 1907 refere a existência de duas camadas de alvenaria bastante distintas em certas paredes do forte, considerando a inferior de origem indiana devido ao seu aparelho. Assim, é possível que o baluarte cilíndrico que divide as duas cortinas do lado norte seja de origem pré‑portuguesa. Imediatamente a oeste deste baluarte e encostadas à muralha do forte, localizam‑se as ruínas da Igreja da Misericórdia, com acesso direto a partir da nave para o terreiro no interior do recinto. Do lado oeste estão outros dois baluartes cilíndricos. Já no canto sudeste da fortificação está um reduto de planta quadrada, que scontém uma inscrição datada de 1536. A entrada principal para o Forte de São Sebastião localiza ‑se perto deste baluarte e ostenta a data de 1606. O seu desenho está bastante relacionado com a zona central do frontispício da igreja jesuíta de Baçaim. Do lado norte da entrada arrancam as escadas que conduzem aos parapeitos do forte. Perto deste local estaria o tronco ou cadeia da cidade, construída entre 1635 e 1639, segundo Gerson da Cunha. No canto nordeste do forte começava a casa do capitão, um edifício de dois pisos que se elevava sobre os parapeitos da muralha, acompanhando‑a ao longo de oitenta metros. A vista de Gaspar Correia (c. 1550) representa canhoeiras ao nível térreo, tanto nas cortinas como nos baluartes. Contudo, o desenho apresenta a fortificação com a morfologia de um pentágono regular, o que está muito longe da realidade.

Loading…