Barragem da Chicamba Real (antiga Barragem Oliveira Salazar)

Barragem da Chicamba Real (antiga Barragem Oliveira Salazar)

Chimoio [Vila Pery, Mandigos], Manica, Moçambique

Equipamentos e infraestruturas

A ideia da barragem nasce praticamente com o projeto têxtil que a Sociedade Algodoeira de Portugal (mais tarde designada Sociedade Algodoeira de Fomento Colonial) pretendia realizar em Vila Pery, de modo a satisfazer as necessidades de energia elétrica daquela nova indústria. Em 1946, foi fundada a Sociedade Hidro-Elétrica do Revué (SHER), com capitais do estado e de particulares, conforme o decreto n.o 35.744, de 10.07.1946, que lhe atribuía o aproveitamento daquele rio e seus afluentes, entre as cotas de cem e setecentos metros. Iniciou-se imediatamente a construção do Açude das Quedas e da Central do Mavudzi. Este açude, que viria a estar concluído em 1953, tem oito metros de altura média e duzentos e trinta de comprimento, donde "sai um túnel em cimento armado, com 2.000 metros de comprimento e que atravessa um pequeno monte, sendo a água levada por meio de tubagem para um penhasco que domina a central elétrica, de onde cai então de uma altura de cerca de 195 metros até às turbinas. [...] Estas turbinas têm uma capacidade de produção anual de 150.000.000 kwh. O potencial das turbinas geradoras será, na sua primeira fase, de 14.000 hp, na última fase de 56.000 hp" (Diário de Moçambique, Beira, 04.08.1957, pp. 1, 12).
A segunda fase dos trabalhos passou pela construção de uma nova barragem, numa das gargantas do Revué (Chicamba Real), a partir dos projetos elaborados pelo Gabinete de Estudos da Hidro-Elétrica do Zêzere, e pela ampliação da Central do Mavudzi, com a instalação de três novos grupos turbo-geradores, de doze megawatts cada um. O desenho básico da nova barragem era, essencialmente, um "delgado arco em abóbada de dupla curvatura", com o comprimento de oitocentos e catorze pés e duzentos e quarenta e seis de altura em relação aos fundamentos, tendo a capacidade de reter dois milhões de metros cúbicos de água. Uma central, com grupos de turbinas de 23.000 cavalos, podia fornecer uma saída total de trinta e seis megawatts. Devido à depressão do terreno, construiu-se uma barragem mais pequena como complemento.
De acordo com o decreto n.º 39.237 de 06.06.1953, que lhe atribuía o estabelecimento e a exploração de subestações e linhas de transportes de energia, a central ligou-se imediatamente a Vila Pery, após a construção da Central do Mavudzi; à cidade da Beira, após o munícipio ter contraído em 1954 um empréstimo junto do Banco Nacional Ultramarino, tendo este trabalho sido executado pela Società Anonima Elettrificazione, de Milão; e à Rodésia, com a inauguração, em 12 de agosto de 1957, da subestação de Umtáli, que concretizava um acordo de fornecimento de energia elétrica por um período de dez anos, assinado em 27 de outubro de 1955 entre a SHER e a Electricity Supply Commission, instituição rodesiana que superintendia à distribuição de energia elétrica naquela colónia. Em 20 de junho de 1959, os dois importantes empreendimentos foram inaugurados, tomando a Barragem da Chicamba Real o nome de Oliveira Salazar, e a Central do Mavudzi o de Marcello Caetano.
Pensava-se ainda na construção de uma terceira barragem, sensivelmente entre as duas primeiras, no local de Tzata, podendo o sistema Mavudzi-Chicamba-Tzata fornecer energia na ordem de dois milhões de kilowatts/hora, tendo sido apresentado ao Ministério do Ultramar, para aprovação, um plano geral de aproveitamento da bacia do Revué (1959).
A Barragem da Chicamba Real constitui assim uma grandiosa construção, situada a cerca de trinta quilómetros a oeste de Chimoio, no planalto de Manica. Estrutura em betão armado, em superfície curva (de duas curvaturas), onde dois pilones centrais são moldurados por dois possantes muros de concreto. Construída no quadro do aproveitamento hidroelétrico do Rio Revué, para produção de energia para a Beira, o Dondo e o Chimoio, e para a Rodésia/Zimbawe (com altura de setenta e cinco metros, cento e noventa e quatro de corda, e dez de espessura da base).

Loading…