Forte de Óbidos, Forte dos Pauxis

Forte de Óbidos, Forte dos Pauxis

Óbidos, Pará, Brasil

Arquitetura militar

O capitão Francisco da Mota Falcão construiu, à sua custa, o Forte dos Pauxis, no estreito de Óbidos, o Forte do Paru, em Almerim, o Forte de São José da Barra, no Rio Negro e o Forte do Tapajós, em Santarém. Encarregou‐se da construção dos fortes, nos locais indicados pelo governador António de Albuquerque Coelho de Carvalho, em troca do governo vitalício de um deles. Foi seu filho, Manoel da Mota Sequeira, que concluiu a obra do Forte dos Pauxis, em 1698. Tratava‐se de uma pequena fortificação em taipa de pilão, construída numa situação elevada sobre o rio, basicamente dedicada ao registo das embarcações que por ali obrigatoriamente passavam. Em meados do século XVIII, ainda antes da elevação do povoado a vila, o forte e a ribanceira onde este se situava estavam bastante arruinados, exigindo obras. Em 1753, o capitão Ricardo António da Silva Leitão fez alguns reparos que foram elogiados por Francisco Xavier de Mendonça Furtado. Mas a derrocada da cortina pelo lado do rio foi inevitável. A sua guarnição foi sempre muito reduzida; era mais uma vigia que um forte. Em 1854, quando a vila de Óbidos foi elevada a cidade, projetou‐se um novo forte, na forma de um reduto semi‐circular com parapeitos à barbeta, que é o que ainda lá está, sem função militar, apenas para visitação pública.

Loading…