Convento e Igreja da Nossa Senhora da Piedade

Convento e Igreja da Nossa Senhora da Piedade

Mandapeshwar (Manapacer, Mount Poinsur), Área Metropolitana de Mumbai (Bombaím), Índia

Arquitetura religiosa

O complexo construído pelos franciscanos recoletos portugueses da Província da Piedade em Mandapeshwar é, potencialmente, dos sítios arqueologicamente mais interessantes da história do encontro e desencontro entre a Índia hindu e a católica. Do que foi edificado existe materialmente pouco, apenas o suficiente para evocar a história. Os frades franciscanos portugueses chamaram Manapacer ao sítio de Mandapeshwar. Pouco a pouco, a palavra evoluiu para incorporar a ideia de monte, provavelmente por causa da presença de um Sacromonte que foi acrescentado ao sítio no século XVII: passou a chamar‐se Monpacer. Os ingleses leram esta designação como Mount Poinsur - e é este nome que a área tem hoje. O complexo franciscano - constituído por um convento, um colégio e duas igrejas, além do Sacromonte - remonta à atividade missionária de Frei António Porto e Frei João de Goa na Ilha de Salcete. Em Salcete havia diversas grutas onde viviam jogues, ou eremitas hindus. Quando não conseguia convertê‐los, Frei António do Porto procurava expulsá‐los e transformar os espaços em igrejas cristãs, seguindo de modo muito peculiar uma tradição característica da ordem de São Francisco. Templo‐gruta de Mandapeshwar, originariamente um santuário do século VIII dedicado a Shiva, foi ocupado algures entre 1546 e 1548, ano em que Frei António do Porto se referiu ao sítio pela primeira vez, numa carta ao rei D. João III, como "uma formosa e devota ermida" de invocação de Nossa Senhora da Piedade (1549). Entre esta data e 1550, a aldeia de Manapacer foi aforada perpetuamente aos franciscanos. Em 1552, o recolhimento para órfãos de Baçaim, a cargo dos missionários franciscanos, foi transferido para Manapacer, passando a instituição a receber a esmola real. Desta transferência resultou a denominação de Colégio Real de Manapacer.

Loading…