São Francisco do Conde

Lat: -12.629232013899000, Long: -38.680593000504000

São Francisco do Conde

Bahia, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

Suas terras integravam a sesmaria doada em 1559 a Fernão Rodrigues Castello Branco. Este doa sua propriedade, no ano seguinte, a Francisco de Sá, filho do 3.o governador‐geral, que constrói em 1563 o Engenho Real de Sergipe. Por sua morte, as terras passam à sua irmã, D. Felipa de Sá, esposa do conde de Linhares. Ela doa, mais tarde, o Engenho Real do Conde aos jesuítas de Santo Antão de Lisboa. Em 1655, os beneditinos tomam posse da Fazenda Laje, doada por D. Catharina Álvares, casada com Balthazar Barbosa de Araújo. Aí é construído o Engenho São Bento de Sergipe do Conde, transformado no século XIX no Imperial Instituto Baiano de Agricultura. Em 1666, os beneditinos compram mais terras a Balthazar Barbosa de Araújo, e instalam o Engenho e Convento de Nossa Senhora das Brotas. Em 1629, Gaspar Pinto dos Reis e sua esposa doam aos franciscanos terras no local da atual cidade, onde eles iniciam a construção de uma residência e capela. Com as obras do convento, entre 1630 e 1649, a povoação cresce à sua volta e a comunidade constrói a Igreja de São Gonçalo, que é erigida, em 1678, em freguesia. D. João de Lencastre elevou o povoado a vila, instalada em 1698, logo após Jaguaripe (1697) e Cachoeira (1698). A elevação da vila a cidade se deu em 1938. O município decai com o desmembramento de seu território e a crise do açúcar.

Arquitetura religiosa

Equipamentos e infraestruturas

Habitação

Loading…