Oeiras

Lat: -7.020419000065300, Long: -42.131713000008000

Oeiras

Piauí, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

Oeiras tem sua origem associada à urbanização dos currais e, especialmente, à fixação de uma capela para assistir aos fazendeiros da região. A população rural atraiu a igreja, estrategicamente situada equidistante daquelas nucleações. A aldeia formada da capela, filial da freguesia de Cabrobó, evoluiu para povoado; elevado em 1697 à categoria de freguesia da Mocha, desmembrada da paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Rodelas do bispado de Pernambuco. Foi vila em 1717 e, em 1761, a primeira cidade e sede da capitania de São José do Piauí, com a denominação de Oeiras. Em meados do século XVIII, a população era de "duas mil e trezentas pessoas de comunhão pouco mais ou menos". O município contava 3.855 fogos em 1843. Em 1852 teve os foros transferidos para a Vila Nova do Puty. Removidas as principais funções administrativas, inclusive com deslocamento de população e mão‐de‐obra, começou a declinar. Contava 5.000 habitantes na área urbana e 15.000 no município. O acervo mais antigo assenta‐se numa área praticamente plana e contínua, que vai da Ponte Grande, na confluência do Pouca Vergonha com o Mocha, à Matriz de Nossa Senhora da Vitória. Afastadas desse núcleo estão a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, a Capela dos Passos da Rua Manoel Clementino, a Casa da Pólvora e, no extremo oposto, a Igreja de Nossa Senhora da Conceição com algumas edificações adjacentes, além de um ou outro imóvel mais distanciado, como a Casa do Canela, de origem rural, já absorvida pela expansão urbana.

Arquitetura religiosa

Equipamentos e infraestruturas

Habitação

Loading…