Vila Velha

Lat: -20.330467152458000, Long: -40.292161573046000

Vila Velha

Espírito Santo, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

O fidalgo português Vasco Fernandes Coutinho rece‐ beu de D. João III, no ano de 1534, uma capitania no Brasil, pelos serviços prestados na Ásia. No ano seguinte, ele parte para a região com um grupo de 60 pessoas, chegando em 23 de maio de 1535, dia do Espírito Santo, data que batizará a baía e a vila que o donatário funda numa praia próxima à barra da mesma. Este nome posteriormente passará a denominar toda a capitania. No local da vila, ergueu uma paliçada, casas e uma igreja. Não contando com grandes recursos, o donatário enfrentou muitas dificuldades para manter seu empreendimento. Os constantes ataques dos nativos fizeram com que fundassem outra vila alguns anos mais tarde, dedicada a Nossa Senhora da Vitória, numa colina do outro lado da baía, em posição melhor para a defesa, e que passará a ser a sede da capitania. A par‐ tir dessa época, a Vila do Espírito Santo passou a ser denominada de Vila Velha. Apesar disso, ela nunca foi inteiramente abandonada: a própria família do donatário manteve sua residência ali e a construção do santuário de Nossa Senhora da Penha no morro junto à vila transformou o local em centro de peregrinação. A atividade balneária na segunda metade do século XX fez da pequena vila uma grande cidade, integrada na região metropolitana de Vitória. Da fundação de Vasco Fernandes permanece a grande praça, que tem a Igreja de Nossa Senhora do Rosário ao centro, e cor‐ responde ao espaço da primitiva vila.

Arquitetura religiosa

Loading…