Lapa

Lat: -25.770856957051000, Long: -49.718832009656000

Lapa

Paraná, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

A ocupação do planalto do Paraná, denominado de Campos Gerais, começou em 1704, com a concessão das primeiras sesmarias a fazendeiros paulistas. Alguns anos mais tarde, em 1727, para suprir o abastecimento da região das Minas o governador de São Paulo, D. António da Silva Caldeira Pimentel, ordenou a abertura de um caminho destinado ao gado procedente do Rio Grande do Sul. Chamado de Estrada Geral, Caminho do Viamão ou Caminho das Tropas, fazia a ligação entre Viamão, no Rio Grande de São Pedro, e Sorocaba, em São Paulo. Ao longo do caminho, inúmeros pousos para descanso das tropas e registos para cobrança dos impostos foram se fixando, e vários deles evoluíram para freguesias e vilas. Moradores que haviam se instalado num pouso próximo ao registo existente nas margens do Rio Iguaçu solicitaram ao governo da capitania de São Paulo uma sesmaria para edificar uma capela. 1769 foi o ano do auto de posse e demarcação dessa sesmaria, e é considerado a data de fundação do povoado. O desenvolvimento comercial da localidade levará à sua elevação a freguesia de Santo António da Lapa, em 1797, sujeita à jurisdição da Vila de Curitiba. Nove anos depois, em 1806, quando a freguesia já contava com mais de 300 fogos, foi transformada na Vila Nova do Príncipe. O nome voltou a ser Lapa, quando a vila foi elevada à categoria de cidade, na segunda metade do século XIX. O Caminho das Tropas é o elemento estruturador do povoado, e a razão da configuração linear que este teve. Entre o caminho, que é a via mais larga da vila, e a Igreja Matriz, implantada a uma certa distância daquele, duas vias paralelas, as atuais Barão do Rio Branco e Francisco Cunha/David Carneiro, foram ordenando o traçado atual, que configura um irregular xadrez. Classificado como monumento nacional, o centro histórico é composto por casario preponderantemente térreo, em sua maioria datado de meados e finais do século XIX.

Equipamentos e infraestruturas

Urbanismo

Arquitetura religiosa

Loading…