Igreja e Convento do Carmo

Igreja e Convento do Carmo

São Cristóvão, Sergipe, Brasil

Arquitetura religiosa

A presença dos carmelitas em São Cristóvão remonta a 1618, quando foram beneficiados por uma doação de sesmaria. Naquela época, edificaram um modesto convento, registado pelos relatos holandeses sobre a cidade. A igreja e o convento hoje existentes foram erguidos após a expulsão dos holandeses, ocorrida em 1647. No entanto, são vagas as informações sobre a construção deste conjunto, que teve princípio em 1699, com a fundação do convento. Em 1739, houve uma ampliação da igreja, possivelmente concluída em 1766, data que está gravada em seu frontispício. Situado num largo, este conjunto arquitetónico tem a igreja da Ordem Primeira em evidência, ladeada à direita pelo convento e à esquerda pela Ordem Terceira, que estão em posição mais recuada. É marcante nesta igreja a presença da galilé, com três arcos encimados pelas três janelas do coro. Sua fachada é encerrada por um frontão formado por sequência de curvas e volutas, tendo o tímpano ornamentado com elementos em cantaria. Internamente, a igreja de nave única é desprovida de ornamentação, sobressaindo apenas as cercaduras em cantaria das tribunas, púlpitos e nichos de dois altares laterais. O arco‐cruzeiro, também em cantaria, exibe no topo o brasão dos carmelitas. O conjunto apresenta perdas significativas, devido às descaracterizações ocorridas no claustro do convento e à remoção de todo o recheio da capela‐mor, mas seu valor histórico e arquitetónico foi reconhecido pelo IPHAN em 1943.

Maria Berthilde Moura Filha

Loading…