Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Sabará, Minas Gerais, Brasil

Arquitetura religiosa

A Ordem Terceira do Carmo de Sabará foi instituída em 1761, e dois anos depois começaram as obras da igreja. O risco inicial foi realizado pelo mestre Tiago Moreira, que também ficou encarregado da execução. No ano de 1767, as obras já estavam suficientemente adiantadas para permitir que a imagem de Nossa Senhora do Monte Carmelo fosse instalada no templo, dando motivo a grandes comemorações. Em 1771, a Mesa decidiu modificar o projeto do frontispício e das torres, que foram alteadas. É possível que o Aleijadinho tenha opinado sobre estas mudanças, pois na mesma época ele executava as esculturas do frontão e da portada. Nesta última obra, o mestre introduziu uma nova composição ornamental: a cartela ou tarja coroada e apresentada por figuras de anjos infantis. Como foi observado por Myriam R. de Oliveira, se esta tipologia guarda relações com o modelo das tarjas de arco‐cruzeiro do período joanino, ela também deve ser associada aos motivos presentes nas fachadas de igrejas portuguesas da Ordem do Carmo, nomeadamente as da região Norte; portanto, deve‐se levar em consideração a hipótese da existência de "diretrizes precisas da irmandade‐cliente" neste sentido. Internamente, destacam‐se os púlpitos, o coro e as balaustradas da nave, com desenhos sinuosos, também projetados e executados pelo Aleijadinho. Segundo a especialista citada, pode ter sido também ele o autor das talhas do arco‐cruzeiro, tradicionalmente atribuídas ao português Francisco Vieira Servas - que executou o altar‐mor em 1806, conjuntamente com José Fernandes Lobo. As obras de pintura dos tetos da nave e da capela‐mor, realizadas por J. Gonçalves da Rocha entre 1813 e 1818, "revelam uma composição simplória e primitiva", assim como uma "pobreza no colorido" - imperfeições que foram acentuadas pela repintura realizada décadas depois, pelo alferes José Ribeiro da Fonseca.

Cláudia Damasceno Fonseca

Loading…