Fortaleza de São João, Fortaleza de São José e Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição

Fortaleza de São João, Fortaleza de São José e Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Arquitetura militar

A Baía de Guanabara é um sítio favorável à defesa. A barra estreita, com uma ilha rasa no meio, propicia o estabelecimento de um triângulo de tiro. Os franceses que primeiro se instalaram na região ergueram uma bateria na entrada da Barra, onde hoje se localiza a portuguesa Fortaleza de Santa Cruz. Ponta de lança da expulsão dos franceses, a região entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, onde foi fundada a cidade, seria objeto da construção de um complexo de baterias entre 1578 e 1618, que passou a ser denominado como Fortaleza de São João. No início do século XVII eram quatro baterias: São Martinho, São Diogo, São Teodósio e São José, dispostas em volta do morro Cara de Cão. Por ser um ponto estratégico de defesa da cidade foi objeto de constante remodelação, restando como único elemento original das primeiras instalações o portão da fortaleza. A Fortaleza de São José foi edificada a partir de 1735 pelo brigadeiro José da Silva Paes, obedecendo ao risco enviado ao engenheiro‐mor do reino, Manuel de Azevedo Fortes, no ano seguinte. Implantada na Ilha das Cobras, nas proximidades do mosteiro dos beneditinos, era responsável pela defesa da frente da cidade. Da fortaleza setecentista restam o portão em granito e o frontispício da capela em pedra de lioz. Jean de Massé é o primeiro engenheiro militar convocado no início do século XVIII para projetar a defesa da cidade depois das duas invasões corsárias francesas. Ele propõe a construção de um muro e de uma série de fortalezas. Desse sistema, o exemplar mais conservado é a Fortaleza da Conceição. Implantada em cima do morro de mesmo nome, era uma das pontas do grande muro que fecharia a cidade para o interior. Construída a partir de 1715, é uma fortaleza retangular que contava com dois revelins, um na frente, já demolido, e outro ainda parcialmente visível na retaguarda. A portada de granito tem vão em arco de três centros, arrematado por oratório e coruchéus. Conserva ainda intactas as suas muralhas e a casa de pólvora.

José Simões Belmont Pessôa

Loading…