Casa das Onze Janelas

Casa das Onze Janelas

Belém, Pará, Brasil

Equipamentos e infraestruturas

Nome pelo qual é conhecido em Belém do Pará o edifício do antigo Hospital Real, depois Hospital Militar, situado na Cidade Velha, ao lado do Forte do Presépio, com a sua longa fachada de onze vãos virada para o Largo da Sé. A fachada posterior, com varandas porticadas de sete vãos em cada um dos dois pisos, deita para o Rio Guamá. O edifício, hoje rodeado por espaço ajardinado, musealizado e integrado no conjunto monumental denominado "Feliz Lusitânia", foi recentemente reintegrado na sua feição original, tendo sido retirados os acrescentos neo‐clássicos posteriores e derrubadas várias construções situadas nas suas imediações. A necessidade de construção de um hospital, tornada mais premente com o aumento da população após a chegada da Comissão de Limites e dos militares que a acompanharam em 1753, está amplamente documentada na correspondência trocada entre os vários governadores e a corte, desde 1756. Vários projetos se seguiram, encomendados a António José Landi, desde a adaptação do Convento de São Boaventura, de frades capuchos da província da Conceição (entretanto transformado em arsenal), à construção de um edifício de raiz, ao lado do Convento do Carmo. O novo hospital acabou por ser instalado num sobrado que Domingos da Costa Bacelar, rico proprietário do Pará, construía na cidade e não terminava com receio de o ver requisitado pelo governo do estado. A adaptação estava já concluída e o novo hospital entrou em funcionamento a 25 de março de 1769, data da carta que o governador Ataíde Teive enviou à corte, à qual anexava os desenhos assinados pelo artista italiano. A Fundação Calouste Gulbenkian financiou obras de restauro, realizadas em finais do século XX.

Loading…