Palácio do Arcebispo

Palácio do Arcebispo

Panaji [Panagi/Pangim/Panjim/Nova Goa], Goa, Índia

Habitação

Inicialmente previsto para junto da Ponte de Linhares, para onde foi desenhada uma primeira proposta, o Paço do Arcebispo acabou por ser construído no recente Bairro da Conceição, hoje conhecido por Altinho. O novo projeto foi executado na Direção de Obras Públicas pelo seu diretor, José D’Assa Castel‐Branco. O projeto foi aprovado em 1887 e no ano económico de 1888‐1889 foram atribuídas 90.000 rupias para a construção do edifício, distribuídas por esse ano e pelos dois anos económicos subsequentes. A obra foi lançada durante o mês de julho de 1889, tendo que se repetir por diversas vezes por falta de interessados. Finalmente foi adjudicada a José Caetano Jorge. A 8 de setembro de 1890, foram iniciadas as obras no paço e na capela que lhe é anexa, tendo o edifício sido benzido a 14 de setembro de 1894 e a capela um pouco depois, em janeiro de 1895. No entanto, ainda no ano económico 1903‐1904 se orçamentavam verbas para trabalhos relativos às obras do novo paço. O edifício tem dois pisos e desenvolve‐se em L, encontrando‐se a capela, que ocupa ambos os pisos, no seu corpo do lado norte. É na zona central que se resolve o acesso ao segundo andar, composto principalmente por zonas comuns que se organizam através de um corredor central. Sobressai a grande sala de recepções, de onde se tem acesso ao coro‐alto da capela. A fachada principal, de inspiração clássica, tem no piso térreo três corpos rusticados, encimados com frontões triangulares que avançavam ligeiramente em relação ao pano da fachada. Nos dois panos de parede intermédios existiam varandas de ferro, as quais tinham acesso através das salas do segundo piso. Embora esta fachada seja aparentemente simétrica relativamente à entrada principal, na realidade a capela tem uma segunda entrada, o que faz com que essa simetria não seja real. Aliás, o edifício também não é volumetricamente simétrico. As fachadas laterais são marcadas por uma série ritmada de aberturas, que no segundo piso são janelas de sacada. O palácio sofreu diversas alterações, das quais a primeira que se conhece data de 1913‐1914, quando se colocaram dez colunas de ferro para apoiar as varandas que apresentavam problemas estruturais, não alte‐ rando de um modo muito significativo a imagem do edifício. A zona da varanda sofreu nova transformação, tendo sido construída uma estrutura de betão. Desconhece‐se a data exata em que essas alterações foram feitas, mas supõe‐se que sejam de 1952, por oca‐ sião das comemorações do quarto centenário da morte de São Francisco Xavier. Foi provavelmente também nessa época que se retirou a balaustrada encimada por elementos escultóricos, que compunha a platibanda, e se transformam as janelas de sacada dos três volumes mais avançados da fachada principal. Pode adivinhar‐se a utilização de portas vindas de Velha Goa nas duas entradas da fachada principal (entrada principal e entrada para a capela), como sucedeu em outros edifícios. Junto ao paço, desenvolvendo‐se no monte, foi construída uma via sacra em 1897. Dez anos mais tarde, foi construído em frente ao edifício o monumento ao Cristo redentor. A edificação no Altinho do Paço do Arcebispo, um edifício eclesiástico, acabou por marcar a transição para uma nova fase na cidade de Nova Goa, e que iniciou a construção nas novas áreas de expansão urbana. A sua implantação e o facto de ter sido o primeiro edifício construído neste bairro foram claras demonstrações do poder que a Igreja ainda tinha em Goa. Não será também por acaso que as opções no tratamento da fachada principal, com três corpos salientes unidos por uma varanda, são análogas às do Palácio do Governo.

Alice Santiago Faria

Loading…