Igreja de Nossa Senhora da Conceição

Igreja de Nossa Senhora da Conceição

Panaji [Panagi/Pangim/Panjim/Nova Goa], Goa, Índia

Arquitetura religiosa

Em 1541 foi fundada uma ermida, na encosta poente do Monte da Conceição em Pangim, virando-se para a foz do Rio Mandovi, tendo sido elevada a igreja paroquial em 1600. Em 1619, o edifício primitivo foi demolido e a igreja reedificada, sendo dessa data o perímetro fundamental que hoje podemos observar. A igreja é de nave única, com cobertura de madeira e telhado e capela-mor abobadada a pedra. Apresenta ainda um falso transepto. A capela-mor, articulada por dois nichos semicirculares em cada lado, e a respectiva abóbada (de arestas com penetrações) correspondem a uma reforma arquitetónica datável da primeira metade do século XVIII. Há um coro-alto ainda posterior. A fachada até à cornija principal datará também da reforma setecentista. Na década de 1870, foi introduzida a sineira, com o sino do antigo convento dos agostinhos de Velha Goa, e fez -se a alteração do remate das torres. Nessa mesma época construiu-se a escadaria, que veio até hoje e é a peça cenográfica que, com a fachada, constitui o monumento mais conhecido de Pangim. Observando o desenho feito por Lopes Mendes pode ainda ver-se parte das escadarias mais antigas que subiam lateral e perpendicularmente à igreja, entre as quais existiria inicialmente um patamar ao nível da entrada, como podemos verificar em plantas dos finais do século XVIII. No mesmo desenho distingue-se uma escada mais estreita, uma vez que coexistia com parte da escadaria antiga, e com um desenho um pouco diferente da que hoje existe. Também a zona que atualmente corresponde ao primeiro patamar de escadas seria na altura uma plataforma onde se encontrava o cruzeiro. Assim, é provável que entre o final do século XVIII e 1870 tenha sido realizada uma primeira reforma na escadaria. O cruzeiro foi retirado do local e alterado após as duas primeiras décadas do século XX. O monumento à Imaculada Conceição, situado no adro da igreja, data dos finais de 1904; no seu pedestal encontra-se uma placa datada de 1954, ano comemorativo do centenário da instituição do dogma da Imaculada Conceição (e do cinquentenário do monumento). A escadaria fazia decerto parte de um plano mais abrangente, que englobaria o Corte do Outeiro e o Largo Municipal e reforçou o papel cenográfico que a Igreja de Nossa Senhora da Conceição sempre teve, como se pode observar desde as mais antigas representações conhecidas de Pangim.

Alice Santiago Faria

Loading…