Ponte Nobre de Carvalho

Ponte Nobre de Carvalho

Macau, Macau, China

Equipamentos e infraestruturas

A Ponte Nobre de Carvalho ou a Ponte Macau‐Taipa, como também é conhecida, liga Macau peninsular, junto ao edifício do Casino Lisboa, à Ilha da Taipa, junto à colina norte. Denomina‐se Nobre de Carvalho em homenagem a José Manuel de Sousa e Faria Nobre de Carvalho, governador de Macau entre 25 de novembro de 1966 e 19 de novembro de 1974.
Tomando a forma sinuosa do dorso de um enorme dragão, com o Casino Lisboa representando a cabeça e a Taipa Pequena a cauda, acentua a sua expressiva presença na paisagem como algo de singular e específico, contribuindo para que seja reconhecida com um valor cultural de pertença pela comunidade, que a con‐ sidera património histórico de Macau, e passando a concentrar em si o valor de símbolo do lugar.
Foi durante muito tempo a ponte mais longa do mundo. Projetada no final da década de 1960 pelo engenheiro Edgar Cardoso (1913‐2000), a construção iniciou‐se em junho de 1970 e a inauguração teve lugar a 5 de outubro de 1974. Com um comprimento de três quilómetros e uma largura de nove metros e vinte, o trainel da ponte é elevado numa pequena parte formando um arco triangular agudo que atinge a altura máxima nos trinta e cinco metros, garantindo assim a necessária passagem de barcos.
A Ponte Nobre de Carvalho constitui um estimulante desafio técnico, que dá forma e responde genialmente a questões e requisitos complexos resultantes da articulação do vão a vencer, com os condicionamentos ao traçado em perfil e aos gabaritos de navegação e de modelação dos vãos e pela provocação da convexidade da super‐estrutura. Para além da resolução brilhante dos aspectos formais, a obra representou na época aspectos inovadores também no quadro do desenvolvimento de uma tecnologia de pré‐fabricação importante.
Os cerca de três quilómetros de extensão são resolvidos com apenas três juntas de dilatação, integrando um viaduto contínuo em peça monolítica com mais de um quilómetro e um vão central com setenta e quatro metros, elevado trinta e cinco metros sobre o nível médio das águas. Mas é também na tecnologia da pré‐fabricação que residem os aspectos mais inovadores da obra, com a aplicação inovadora de resinas epoxídicas na ligação de elementos pré‐fabricados de betão e aço. A esbelteza da ponte é notável, e o sistema de contraventamento transversal para os fustes dos pilares, idealizado por analogia com os sistemas adotados nas pontes metálicas, uma solução de extrema elegância.
No quadro da obra extraordinária que o engenheiro Edgar Cardoso nos legou, a Ponte Nobre de Carvalho confirma a singularidade e o lado experimental da sua estratégia projetual. Ator privilegiado da transformação do território, modelando em profundidade a paisagem, criador técnico e plástico de realizações que surpreendem - quer pela força escultórica, quer pelo risco assumido na diversidade de soluções trabalhadas - sempre defendeu que "a perfeição técnica de uma obra de engenharia tem sempre reflexo na sua qualidade estética. A simplicidade e a justeza com que foi concebida comandam o grau de emoção que desperta naqueles que a contemplam." A Ponte Nobre de Carvalho é a prova da sua máxima de que "em todos os rios há um sítio que foi feito para se pôr uma ponte. É preciso é encontrá‐lo!" Primeira ponte construída em Macau, permitindo antever a transformação do território, desencadeou um processo de drásticas mudanças que têm vindo a alterar a dimensão, a forma e finalmente a vida quotidiana, introduzindo um fator multiplicador no tempo e no espaço.
De facto, a abertura da Ponte Nobre de Carvalho constituiu o primeiro ato isolado de um processo de crescimento do território que em breve tomaria proporções impressionantes. Só vinte anos depois seria inaugurada a segunda ponte, integrada agora num vasto plano de investimentos, e mais tarde a terceira. Taipa sempre foi uma ilha pouco povoada, mas esta situação mudou quando a Ponte Governador Nobre de Carvalho foi concluída. A partir desta data, a ilha iniciou um processo de grande desenvolvimento, aumentando substancialmente de população e constituindo hoje uma grande área residencial. Réplica moderna das tradicionais pontes asiáticas de bambu, justamente comparada a um corpo de dragão que repousa sobre o estuário do Rio das Pérolas, a Ponte Nobre de Carvalho é hoje um ex‐líbris da cidade, um símbolo perene e belo de Macau como se dela fizesse parte, fisicamente, como uma segunda natureza.

Loading…