Avenida Almeida Ribeiro

Avenida Almeida Ribeiro

Macau, Macau, China

Equipamentos e infraestruturas

A abertura desta avenida sobre o Bairro Chinês na segunda década do século XX, integrada no quadro conceptual do urbanismo higienista das transformações de Paris e da maioria das grandes cidades ocidentais, representou uma mudança radical na matriz do desenvolvimento da cidade realizado até aí, e constituiu facto de consequências determinantes para o futuro de Macau, já que assumia a ligação do Porto Interior ao Porto Exterior. Em conjunto com as suas transversais, tornou‐se a via comercial por excelência, animada pelo colorido dos anúncios e publicidade.
A sua abertura deu origem à construção de um notável conjunto de edifícios, com arcada comercial sobre o passeio e habitação nos pisos superiores. Erguidos entre as décadas de 1910 e 1930, formam uma unidade urbana de assinalável originalidade, marcada por um gosto eclético patente nas fachadas que se desenham, desde um revivalismo neoclássico ao estilo mais modernista, passando pelo gosto art nouveau e art déco. Um dos aspectos mais singulares é a sequência de arcadas, que ainda se podem encontrar nos edifícios dos Serviços de Saúde, da Biblioteca Central, do Arquivo Histórico, do Centro de Arte Contemporânea ou do Instituto Ricci.
Em 1982 e 1989‐1993, o Instituto Cultural de Macau promoveu uma campanha de restauro e manutenção de muitas das fachadas dos edifícios que compõem este espetacular conjunto, atenuando a delapidação progressiva iniciada a partir da década de 1960.

Loading…