Estádio de São Tomé e Príncipe

Estádio de São Tomé e Príncipe

São Tomé, Ilha de São Tomé, São Tomé e Príncipe

Equipamentos e infraestruturas

O Estádio de São Tomé e Príncipe representa um caso de construção de um grande equipamento público projetado em Lisboa por Eurico Pinto Lopes no âmbito da produção do GUC.

O arquiteto confronta-se com os elementos estilísticos do Estado Novo presentes nos equipamentos públicos de responsabilidade local e segue a implantação prevista no plano urbanístico elaborado nos primeiros anos do GUC (1951). De uma maneira, geral, os vários planos urbanos para as capitais das colónias caracterizam-se por uma delimitação clara dos diferentes sectores funcionais (zonamento). Destes faziam parte as Zonas dos Espaços Livres Públicos, incluindo um Parque Desportivo situado normalmente nos limites da cidade construída, e no qual a construção de um estádio tinha um papel determinante.

É neste contexto que em 1950 Eurico Pinto Lopes realiza um projeto de excepção: o Estádio Sarmento Rodrigues, atual Estádio 12 de Julho, dotando a capital santomense de um importante equipamento desportivo. A sua implantação localiza-se numa das zonas de expansão do plano de João Aguiar,à margem da antiga avenida Oliveira Salazar, atual avenida das Nações Unidas, nas proximidades do primeiro grande bairro residencial para funcionários (atual bairro 3 de Fevereiro). A “cobertura de plano inclinado” que corre as bancadas e a tribuna central é o elemento estrutural mais complexo, calculado pelo engenheiro José Quinhones Levy, também funcionário do GUC. Os balneários situam-se a uma cota inferior ao relvado, ocupando parcialmente a zona inferior das bancadas.

O projeto tem afinidades com outras obras semelhantes, disseminadas em cidades coloniais de média dimensão, caso do Estádio de Bissau (Paulo Cunha, 1947). Apesar do desenho de estádios ser bastante corrente entre os projectos dos arquitetos dos Gabinetes, poucos foram efetivamente construídos. No âmbito da produção do GUC relativa a programas desportivos, realça-se também o estádio da cidade moçambicana de Nampula, realizado por João Aguiar e Sabino Correia em 1954.

O estádio da capital santomense está em pleno uso e sofreu recentemente obras de conservação. 

Ana Vaz Milheiro

(Projeto GCUC, FCT ref. PTDC/AUR-AQI/104964/2008)

Loading…