Forte Jalali

Forte Jalali

Muscat [Mascate], Golfo Pérsico | Mar Vermelho, Omã

Arquitetura militar

Defronte do Forte Mirani, no outro lado do arco da baía, ergue‐se o Forte Jalali, que Bocarro chama Forte do Boqueirão. Mandado construir por ordem do vice‐rei D. Duarte de Meneses em 1588, é uma robusta e impressionante massa arquitetónica à qual, segundo António Bocarro, se subia por uma escada de oitenta degraus, a meio dos quais ficava um revelim onde se fazia a vigia. Na plataforma acima do boqueirão havia uma cisterna cavada na rocha, que Mariano Saldanha diz ser abobadada, e três casas, sendo a primeira para mantimentos, outra para munições e a última para o capitão. Ainda segundo o cronista, daí se avistava um orelhão que era como que um pequeno baluarte com três peças de artilharia apontadas na direção de Qurayat. Na parte esquerda deste baluarte, existia uma porta de acesso ao mar, que Barreto de Resende tão bem assinala na sua representação. A realidade está conforme a descrição, pese embora a imagem diferente que dele toma quem está na cidade. A elevação dos baluartes, em jeito das torres tão ao gosto dos locais, confere-lhe a imagem de castelo, que contrasta com a modernidade ao tempo da fundação. Duas das torres são redondas, e as restantes quadrangulares. Um outro torreão nasce junto ao revelim que fica a meio da encosta e onde estaria instalada a casa da guarda. Ao cimo, as ditas casas, construídas ao jeito de torres gémeas, têm guaritas muito semelhantes às do Forte de Jesus de Mombaça. Um vasto pano de muralhas faz a unificação das torres, formando uma esplanada central para onde dão as casas da guarnição. Na muralha, sobre o lado da baía, estão rasgados oito pares de janelões. Aos primitivos baluartes, um quadrangular e outro poligonal, que espreitam a baía foi acrescentada, na parte oposta e sobre o sertão, exatamente no troço em que a muralha faz uma inflexão, uma torre de secção circular. Em 1982, o Forte Jalali foi restaurado pela Wimpey Alawi Company, sendo atualmente utilizado como museu. O forte tem cerca de duzentos e quarenta metros de perímetro, sendo que a frente sobre a baía tem aproximadamente cinquenta. O nome de São João, pelo qual era conhecido o dito Forte do Boqueirão no tempo da presença portuguesa, derivou para a atual designação de Jalali.

Eduardo Kol de Carvalho

Loading…