Outros Equipamentos

Outros Equipamentos

Lubango [Sá da Bandeira], Huíla, Angola

Equipamentos e infraestruturas

A partir dos anos 1930, acompanhando o crescimento da cidade, foram construídos inúmeros equipamentos públicos de referência, que acabaram por condicionar o desenvolvimento urbano. Inicialmente observou‐se a coexistência entre os estilos arquitetónicos anteriores e a introdução da estética do Estado Novo, sendo clara já nos anos 1950 a experimentação de feição moderna. Destacam‐se o Colégio Paula Frassineti, das irmãs doroteias, construído em 1938‐1939 e apresentando já alguns elementos representativos da arquitetura art déco, de transição para a do Estado Novo; a Escola Comercial Artur de Paiva, de "gosto pesado de revivalismo ‘solarengo,’ com arcadas e pináculos", construída antes em 1952, que é atualmente a Escola 27 de Março (com projeto de 1944 atribuído a Vasco Pereira de Lacerda Marques). De referir ainda o emblemático Cinema Arco‐Íris - uma tipologia curiosa, que albergava simultaneamente a Discoteca Diplomata - ou o Grande Hotel da Huíla, do arquiteto austríaco Charren, no qual colaborou Fernando Batalha, e que é um dos símbolos da prosperidade e desenvolvimento da cidade nos últimos anos do período colonial. Outro edifício emblemático da cidade é o Hotel Império, que serviu de quartel‐general da UNITA entre 1980‐1990 e se encontra severamente danificado. Há ainda a referir o Mercado da Laje e o Casino da Senhora do Monte, de desenho modernista, com típicas varandas cilíndricas. A Piscina/Lago da Senhora do Monte, dada a sua dimensão, tinha uma dupla utilização, lugar de lazer donde se contemplava a cidade. Ainda de carácter lúdico, destaca‐se a Feira Popular, com as suas estruturas laminares porticadas de grande dimensão, da autoria do arquiteto José Frederico Ludovice, nos anos 1960. Do mesmo arquiteto, implantado na Leba, o Pavilhão Rústico da Tundavala funcionava como restaurante e clube de caçadores, com uma torre em pedra destacada de um corpo horizontal com grande cobertura de uma água formando alpendre sobre singelos pilares de madeira. O ritmo cadenciado dos grandes vãos enfatizava a horizontalidade. Hoje encontra‐se em ruínas devido a um incêndio. De mencionar ainda a Aerogare da cidade, de linhas e expressão arquitetónica moderna, dos anos 1960‐1970.

Cristina Udelsmann Rodrigues

Loading…