Torre

Torre

Pallipuram [Palipurama/Paliporto], Kerala, Índia

Arquitetura militar

A torre hexagonal de Palipuram, situada a vinte e quatro quilómetros a norte de Cochim, é tradicionalmente considerada uma das mais arcaicas estruturas europeias em solo indiano. Contudo, a data da fundação permanece indeterminada e as suas características arquitetónicas apontam para intervenções posteriores a 1661, altura em que os holandeses tomaram esta posição defensiva.
Designada como Paliporto pelos portugueses, desde cedo esta povoação, situada na barra do Rio Cranganor, esteve no centro dos conflitos entre as forças do rajá de Cochim, apoiado pelos portugueses, e as de Calecute, procurando ambas controlar os fluxos da pimenta que dos Gates afluíam à costa do malabar. Logo em 1504, o capitão Lopo Soares de Albergaria e os seus homens, no contexto de um ataque a Cranganor, fundearam aí uma parte significativa da sua força naval.
Mais tarde, em meados da década de 1530, foi edificada uma estância na barra de Palipuram, tendo ficado por capitão Simão Botelho, futuro vedor da Fazenda do Estado da Índia, com a incumbência de travar a passagem dos paraus de Calecute. Esta primeira posição defensiva foi posteriormente substituída por uma pequena fortificação, descrita por António Bocarro, cerca de 1635. São as ruínas desta reconstrução que ainda permanecem em Palipuram, embora, na opinião de Pedro Dias, esta posição tenha sofrido ainda uma intervenção holandesa após 1661.
Constituída por três pisos, a torre apresenta três aberturas sobrepostas e de forma aproximadamente quadrada em cada flanco; sob o piso térreo existe uma cave e uma pequena cisterna. As alvenarias são de pedra laterítica caiada, sendo que no centro do pavimento do piso térreo ainda se nota o embasamento de uma coluna central a partir da qual se estruturava o madeiramento necessário aos pavimentos superiores, acessos respectivos e cobertura.

Sidh Losa Mendiratta

Loading…