Igreja e Terreiro de Lalame-a-Nova

Igreja e Terreiro de Lalame-a-Nova

Palai, Kerala, Índia

Arquitetura religiosa

De pequenas dimensões, a Igreja de Lalame‐a‐Nova apresenta‐se como uma jóia da arquitetura indo‐portuguesa do Kerala, pelas suas proporções e requinte de decoração.
Na sua estética a igreja segue uma tendência maneirista, que se manifesta no desenho e decoração da fachada, dividida horizontalmente em vários andares com sancas salientes e verticalmente por pilastras e colunas. A composição do programa arquitetónico, com uma torre adossada à fachada, remete a tipologia desta igreja para uma tradição que remonta ao século XVI.
Em paralelo com a Igreja de São Tomé de Palai, este edifício apresenta‐se como um exemplar de uma tipologia de igreja com galeria correndo ao lado da fachada lateral. Inicialmente em estrutura de madeira com dois pisos, no século XIX esta galeria foi alterada para uma estrutura mais sólida, em alvenaria, com arcos góticos de volta quebrada. Na fachada estão ainda apontadas as janelas que, no primeiro piso, permitiam o acesso da galeria ao terreiro fronteiro à igreja, mas deixaram de ter funções. A fachada apresenta um interessante programa iconográfico com figuras em baixo relevo. Ao alto, no eixo do portal de entrada, destaca‐se a Santíssima Trindade incluindo, no andar inferior, a figura da Virgem, recolhida no interior de um nicho e ladeada por dois anjos. As aletas que ligam o tramo central aos laterais desenham‐se em leque, ostentando dragões dos dois lados, como encontramos nas entradas dos templos hindus. De inspiração hindu são, igualmente, as duas cabeças de dragões que se salientam nas pilastras da fachada. Por cima da porta podemos observar a imagem, em relevo, de São Jorge. Pela sua luta com o demónio, São Jorge aparece aqui como uma divindade protetora, em sintonia com a tradição hindu. Em paralelo com outras igrejas de cristãos de São Tomé, esta igreja exibe um corpo torreado sobre o altar‐mor, com uma cobertura de telhado de quatro águas. Esta estrutura, denominada em malaiala madubaha, remete mais uma vez para uma tradição indiana na sua afinidade com as estruturas dos templos hindus, onde o lugar da divindade é salientado por um alto corpo torreado.
Como aparece em algumas das mais antigas igrejas de cristãos de São Tomé, o terreiro desdobra‐se em dois patamares, ligados a toda a largura por uma escadaria que introduz no conjunto um forte pendor sagrado e processional. Uma requintada casa para os músicos, com uma sofisticada estrutura de madeira, apresenta ao nível do primeiro andar claras afinidades formais com as gopuras dos templos hindus do Kerala.
O interior da igreja de uma nave, tem um cruzeiro apontado por duas capelas e arco triunfal na passagem para a capela‐mor, apresentando esta uma cobertura de abóbada de canhão dividida por cartelas, como é característica das igrejas dos cristãos de São Tomé desta época.
As pequenas proporções da igreja contrastam com a grandiosidade aristocrática da casa paroquial, que apresenta um interessante programa de casa colonial de influência portuguesa. Nas suas primitivas funções no piso térreo funcionava a escola, sempre presente nestas casas paroquiais, vindo a constituir como uma das mais significativas características da influência portuguesa no sul da Índia.

Helder Carita

Loading…