Igreja de Nossa Senhora de Belém

Igreja de Nossa Senhora de Belém

Dongri, Área Metropolitana de Mumbai (Bombaím), Índia

Arquitetura religiosa

Esplendidamente localizada num sítio ainda intocado pela urbanização de Salcete, a fachada virada a norte, ao largo do rio de Baçaim, com a antiga cidade escondida pelo coqueiral e a bruma na outra margem a noroeste, a Igreja de Nossa Senhora de Belém de Dongri mantém provavelmente o perímetro murário, o tipo arquitetónico, o terreiro onde se localiza e a situação relativamente ao povoado com que terá sido fundada pelos jesuítas cerca de 1613. Esta data, apensa à fachada já no século XX, corresponde à colocação do primeiro pároco, Francisco de Azevedo, SJ. A igreja é de nave única coberta de telhado e capela‐mor com abóbada ou teto liso de canhão, rebocado, mas é natural que seja ou tenha sido abóbada, a julgar pela presença exterior de contrafortes. A fachada apresenta três tramos, três portas em arco, sendo a central a maior, e duas sineiras a que correspondem mais dois tramos muito estreitos. O argumento essencial a favor de que o perímetro murário da igreja seja ainda primo‐seiscentista é a forma interior de algumas janelas: redesenhadas modernamente de forma gótica, mantiveram o característico recorte em asa de cesto que encontramos por toda a parte no norte e, aqui e ali, em Goa ou Kerala, em edifícios de Quinhentos ou Seiscentos. Em 1902 foi feita e cronografada com esta data a obra da escada que, a sul, por detrás da sineira do mesmo lado, dá acesso exterior ao coro alto sobre a entrada. A frente lateral sul, onde se abre uma porta para a nave, comporta‐se como segunda fachada. De facto, a igreja, implantada num vasto terreiro, volta esta frente à aldeia, ainda hoje essencialmente composta por casas católicas de tipo tradicional (uma delas datada de 1933), enquanto a fachada frontal se volta ao terreiro e, para lá dele, ao rio. Uma inscrição moderna dentro da igreja, mais explícita e em inglês, atribui ao vigário Pascoal Collaço a renovação da igreja em 1916, sob autoridade do arcebispo de Damão, Sebastião José Pereira. Correspondem certamente a esta campanha de obras a forma gótica exterior da maior parte dos vãos, o pavimento cerâmico e o teto da madeira da igreja, os altares laterais góticos e até o altar‐mor, cuja forma parece ser uma variação a partir dos altares barrocos de Baçaim que existem bastante perto na Igreja de Gorai (transferido da velha para a nova no início do século XIX) e, do outro lado do rio, em Manickpur. É provável que corresponda também a esta campanha de obras o redesenho da empena e a redecoração da fachada principal de igreja. Com exceção do perfil dos vãos, que é o original, tanto a cornija ondulante como os pináculos art nouveau, as sineiras, os ornatos e até as pilastras (que substituem outras mais antigas, cujos traços permanecem na fachada) parecem ser primo‐novecentistas.

Paulo Varela Gomes

Loading…