Igreja do Santo Rosário

Igreja do Santo Rosário

Dhaca [Daca/Dacca], Dhaca, Bangladesh

Arquitetura religiosa

Dacca tornou‐se a capital do vice‐reino de Bengala, dependente do império mogol, em 1608. Por esta data já a cidade tinha sido visitada por mercadores e missionários portugueses. Por volta de 1629, o agostinho Sebastião de Manrique visitou Dacca e deixou descrita uma igreja administrada pelos agostinhos. Esta estrutura, referida posteriormente por vários viajantes, parece ter sido destruída na segunda metade do século XVIII. Provavelmente localizava‐se perto, ou dentro, do recinto do atual cemitério católico de Narinda, na zona central de Dacca. No último quartel do século XVII uma comunidade significativa de portugueses ou portugueso‐descendentes fixou‐se na região da cidade, alguns vindos da zona de Chittagong. Em 1682, segundo um relato de um visitante inglês, essa comunidade incluía cerca de 600 homens de armas, também conhecidos como topazes.
Localizada no bairro de Tejgaon, a cerca de quatro quilómetros e meio a norte do centro de Dacca, a Igreja do Santo Rosário constitui o exemplo mais interessante e bem conservado, do ponto de vista arquitetónico, de todas as estruturas religiosas de fundação portuguesa na região de Bengala. A sua conservação foi recentemente realizada numa campanha desenvolvida pela Fundação Calouste Gulbenkian e concluída em 2000.
Não se conhece o ano de fundação da Igreja do Santo Rosário de Tejgaon. O frontispício ostenta a data de 1677, e a primeira menção de uma igreja no local é de 1678. Segundo João Campos, a implantação e volumetria dessa estrutura primitiva poderá corresponder ao espaço ocupado pela capela‐mor da presente igreja. Esta data, provavelmente, de inícios do século XVIII. Em 1779, registam‐se novas obras na estrutura do Santo Rosário e já em 1940 efetuou‐se um restauro abrangente, que não terá adulterado a volumetria ou o essencial da traça da igreja.
É precisamente na surpreendente fachada principal que reside grande parte do interesse arquitetónico da Igreja do Santo Rosário. O seu desenho integra motivos e gostos islâmicos e hindus com uma organização primacial cristã: a fachada com duas torres, cimalha/ frontão e arco/portal central. As torres são rematadas por elaboradas cúpulas de clara traça islâmica e o portal é ladeado por dois pares de colunas igualmente islâmicas, sendo coroado por um arco abaulado de gosto hindu. A cimalha inclui vários nichos, ladeados também por dois pares de colunas, numa elaborada composição triangular.
O corpo principal da igreja é de três naves, estruturadas por duas fileiras de seis colunas robustas. A capela‐mor comunica com a nave central através de um arco triunfal de volta perfeita, decorado com motivos islâmicos. No altar principal existe uma imagem de Nossa Senhora datável do século XVII e a parede da cabeceira, em vez de um retábulo, apresenta uma elaborada composição escultórica, novamente de gosto híbrido e grande equilíbrio artístico. Na face exterior da parede da cabeceira avulta um elemento decorativo que poderá ter pertencido à fachada principal da igreja primitiva. No decurso do restauro mais recente transladaram‐se várias lajes sepulcrais do pavimento para as paredes das naves laterais, sendo que o epitáfio mais antigo data de 1714.
Existem pelo menos duas outras igrejas na região de Dacca cuja fundação é atribuída a missionários agostinhos do Padroado Português: segundo a tradição local, a Igreja de São Nicolau Tolentino de Nagori, localizada a cerca de trinta quilómetros a nordeste do centro de Dacca, foi fundada em 1663. Em 1881, um incêndio destruiu por completo a estrutura original, sendo que a presente igreja data de 1888. É, no entanto, de notar a sua configuração baixa e quase estritamente paralelepipédica. Também de interesse era a residência do pároco de Nagori, datável de meados do século XIX e recentemente perdida. A outra é a Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Hashnabad, a cerca de quarenta quilómetros a oeste do centro de Dacca, cuja construção original remonta a 1777, tendo sido reconstruída em 1888. A cerca de cinquenta quilómetros de Dacca, na aldeia de Panjora, existe também uma igreja de origem assumidamente portuguesa, já referida neste volume no texto de introdução a esta sub‐região.

Sidh Losa Mendiratta

Loading…