Igreja Matriz de Santo Amaro

Igreja Matriz de Santo Amaro

General Câmara, Santo Amaro, Rio Grande do Sul, Brasil

Arquitetura religiosa

Obra de valor inestimável, a Igreja de Santo Amaro, construída em 1787, tem uma planta composta por nave única, com coro e capela‐mor, separados pelo arco‐cruzeiro, com decoração floral de gosto popular. Ao lado da capela‐mor, a sacristia e a capela mortuária, utilizada pela Irmandade de Santo Amaro. A cobertura tem duas águas. A originalidade desse templo está na composição de sua fachada, que é formada por três corpos: um, central, que é a frente da igreja, e dois laterais que, de frente, dão a impressão de duas torres, mas são, na realidade, apenas grossas paredes, bases dos campanários e que servem como dois contraventamentos de alvenaria, justapostos à frontaria, tal como ocorre na igreja de Viamão. Uma grande porta, com guarnições em pedra de lioz, é a única abertura que dá acesso ao interior do templo, na fachada frontal. No pavimento superior, três janelas, com vitrais não originais, iluminam o coro. Sua expressão monumental foi alcançada pelas proporções avantajadas das bases das torres. Se comparadas, proporcionalmente, com os planos e superfícies do corpo central, as áreas destas bases são maiores, causando a impressão de uma escala mais ampla de que a do edifício. O corpo central tem frontão triangular com rebordo curvo, formando uma cimalha saliente com três níveis de molduras, acompanhando o recorte da superfície. O retábulo‐mor e os altares colaterais, em madeira, provavelmente sofreram alterações no século XIX. Sua talha tem características populares. A igreja sofreu um longo processo de restauração entre os anos de 2006 e 2008, que resgatou alguns dos seus aspectos originais. É reconhecida como património nacional brasileiro, juntamente com o conjunto de outros treze edifícios e a praça da vila, desde 1998.

Loading…