Igreja Matriz de Santo Amaro

Igreja Matriz de Santo Amaro

Santo Amaro das Brotas, Sergipe, Brasil

Arquitetura religiosa

Está fundada num sítio doado aos padres carmelitas, em 1721, pelo coronel Pedro Barbosa Leal e sua esposa. Sua construção deve ter sido concluída em 1728, data que está inscrita na cercadura da porta que comunica a capela‐mor à sacristia. É um edifício sóbrio, com destaque apenas para alguns trabalhos em cantaria de pedra calcária que o ornamentam. Entre estes, sobressai a portada principal, que dá identidade à igreja. No repertório decorativo desta portada há elementos geométricos, florais e duas curiosas figuras que se assemelham a cariátides, cujas feições são bastante toscas, assim como o é o anjo que fecha a arcada central. Acima da portada, há um nicho com a imagem de Santo Amaro, ladeado por elementos florais e volutas. Este trabalho destaca‐se sobre a fachada bastante simples, cujo corpo definido por cunhais e cornija tem por coroamento um frontão triangular sem ornamentação. Tem uma única torre, a princípio edificada até a altura da cornija e concluída em 1941, o que fica evidente nas formas e materiais empregados. Sua planta repetia a distribuição espacial de capela‐mor ladeada por sacristias e nave com corredores laterais. Atualmente, possui corredor e sacristia apenas ao lado do Evangelho, e seu interior é bastante desprovido de ornamentação. Seu primitivo altar‐mor, em talha, foi removido durante uma reforma ocorrida em 1919, e os altares laterais devem datar desta época. Atraem a atenção apenas alguns elementos em cantaria, a exemplo do arco‐cruzeiro encerrado por escudo com as armas de Portugal, assim como um atlante e uma cariátide, esculpidos em pedra, que fazem a sustentação dos púlpitos. Estas imagens, muito toscas, revelam a participação de mão‐de‐obra pouco qualificada. Por seu valor histórico e arquitetónico, esta igreja foi classificada pelo IPHAN, em 1943.

Loading…