Igreja de Nossa Senhora das Correntes

Igreja de Nossa Senhora das Correntes

Penedo, Alagoas, Brasil

Arquitetura religiosa

A igreja foi inicialmente construída por uma ação do capitão‐mor José Gonçalo Garcia Reis, em 1720, e finalizada por iniciativa privada da família Lemos, em princípios do século XIX. Várias hipóteses são apontadas pelos historiadores acerca da denominação da igreja, considerando que a devoção da Nossa Senhora das Correntes não é conhecida na iconografia católica. Dentre elas situam‐se: a referência sobre a situação do próprio capitão‐mor, que chegou a Penedo carregando parte das correntes que o mantinham preso em Portugal; a adoção do nome de uma das benfeitoras, que se chamava Ana Felícia da Corrente, e ainda a aparição de uma imagem de Nossa Senhora, padroeira da igreja, levada pelas correntezas do Rio São Francisco até Penedo, nas proximidades do local onde fora construída. A fachada frontal da igreja apresenta traços barrocos, composta por um frontão que separa duas torres campanários de planta quadrada. Em seu interior, de dimensões modestas, há um sofisticado arranjo decorativo que também evoca a linguagem barroca. Possui nave com azulejos portugueses com motivos marianos e piso de mosaico, enquanto no forro aparece o Sagrado Coração de Jesus em pintura ilusionista. Destaca‐se o altar‐mor, revestido e decorado com peças banhadas a ouro, composto por uma lacuna camuflada que servia de refúgio aos aliados dos movimentos abolicionistas ‐ uma peculiaridade dessa igreja, considerada por Germain Bazin uma das mais belas do Brasil. Foi classificada pelo IPHAN no ano de 1964.

Roseline Oliveira Machado

Loading…