Igreja Matriz de Nossa Senhora Mãe da Divina Graça

Igreja Matriz de Nossa Senhora Mãe da Divina Graça

Parnaíba, Piauí, Brasil

Arquitetura religiosa

É tida como iniciada em 1770 e concluída em 1795. Apresenta características neoclassicistas que marcaram o período de D. Maria I (1777‐1816), em que se destaca a silharia de azulejos da capela do Santíssimo. A planta retangular segue a tradição ibérica popular da igreja basilical, capelas intercomunicantes no transepto, capela-mor, coro e sacristia. Grandes arcos integram as galerias que ladeiam a nave. Obras recentes acrescentaram duas outras capelas. O edifício incorporou complementos ornamentais de inspiração neoclassicista, destacando‐se o arco da capela do Santíssimo e os enquadramentos e sobrevergas da fachada, em pedra de lioz, talhadas nas oficinas de Lisboa. Teve a nave revestida de escaiola, atualmente reduzida aos enquadramentos das arcadas. Dentre os elementos de arte aplicada se destacam o retábulo do altar‐mor, com a bela imagem de Nossa Senhora do Leite; o retábulo, cancelões de ferro forjado, silharia de azulejos portugueses e lápides de lioz na capela do Santíssimo. As portas almofadadas e de calha correspondem aos padrões adotados no século XVIII e XIX, inclusive as dobradiças e espelhos de fechadura em ferro forjado. Implantada em quadra residencial, é a principal referência da arquitetura religiosa de Parnaíba. Passou por reformas, com acréscimos e perdas do revestimento da nave.

Olavo Pereira da Silva Filho

Loading…