Mercado Vermelho

Mercado Vermelho

Macau, Macau, China

Equipamentos e infraestruturas

No quadro dos equipamentos públicos, o Mercado Vermelho - situado nas avenidas Almirante Lacerda e Horta e Costa - representa a primeira construção claramente devedora das correntes do movimento moderno internacional. Projetado pelo arquiteto Júlio Alberto Basto em 1934, é um dos equipamentos construídos para responder ao acréscimo populacional e incremento económico ocorridos na década de 1930. Tratava‐se inicialmente de um edifício isolado nas novas áreas de Macau, destinado à venda de vegetais e outros produtos frescos.
Desenvolve‐se em três pisos, definindo o quarteirão a partir das quatro torres situadas em cada esquina. Desenhado segundo dois claros eixos de simetria, com a torre do relógio no centro, enquadrando a entrada principal, e as restantes em cada esquina. A entrada principal é marcada por uma ampla abertura, que se conjuga com o corpo da torre do relógio, mais alta e recuada em relação ao plano da fachada. A estrutura em betão, formada pelo sistema de pilar‐viga, é assumida como gramática formal marcando o ritmo, desenhando-se as aberturas das janelas nos espaços intersticiais da estrutura portante. Deste modo a modernidade é assumida não apenas pelo uso de uma linguagem geométrica mas pela afirmação da relação entre sistema construtivo e expressão formal. O nome deriva do revestimento em tijolo aparente, que confere ao edifício a cor vermelha.
O Mercado Vermelho, oferecendo diariamente uma enorme variedade de produtos frescos distribuídos pelos seus vários pisos é, para além de um edifício reconhecido pelo seu valor patrimonial, um espaço ainda hoje fundamental para a afirmação da vida palpitante de Macau.

Ana Tostões

Loading…