Igreja e Convento de Santo António

Igreja e Convento de Santo António

Igarassu, Pernambuco, Brasil

Arquitetura religiosa

Fundado nos primeiros anos da presença franciscana no Brasil (1588), na segunda mais importante cidade da capitania de Pernambuco, o convento de Igarassu foi abandonado durante o período de ocupação holandesa e totalmente reconstruído na segunda metade do século XVII. Sabe‐se que a igreja foi construída entre 1662 e 1664, e que a capela‐mor resultante desta campanha foi substituída por outra maior nos anos de 1680. Datam desta reconstrução os fragmentos de um altar de pedra polícroma que se encontram no convento. A fachada que hoje se vê, contudo, resulta de duas campanhas distintas, a primeira das quais, dos anos de 1660, seguiu o modelo estabelecido pouco antes em Ipojuca: galilé de três arcos com porta única de acesso à nave, três janelas retangulares correspondendo ao coro alto e, possivelmente, um frontão triangular. Ipojuca foi também modelo para os demais espaços do convento, nomeadamente o claustro (1689‐91). Provavelmente em meados do século seguinte, uma segunda campanha introduziu alterações nesta fachada, seguindo desta vez o modelo estabelecido em Cairu, e assim acrescentando os segmentos de parede cega laterais sobre os quais se erguem volutas, assim como um complexo frontão com volutas e contravolutas. A decoração da igreja, contemporânea desta segunda campanha, é composta por um coro alto pintado com crucifixo, um notável conjunto de azulejos inspirados em gravuras europeias, e um teto pintado com base na mesma fonte. Um outro elemento arquitetónico digno de referência é a sacristia nova, construída no século XVIII por detrás da capela‐mor e resolvida em retângulo com os ângulos cortados por segmentos curvos de parede (solução rara nesta região do país). Tal como na igreja, a decoração desta sacristia é muito rica e inclui azulejos que revestem a totalidade das paredes, mobiliário de talha com pintura, um teto pintado, e um monumental lavatório em pedra portuguesa.

Loading…