Quartel dos Mouros

Quartel dos Mouros

Macau, Macau, China

Equipamentos e infraestruturas

Não são muitos os edifícios revivalistas que se conservam em Macau e o mais imponente de todos, o velho Hospital de São Januário, construído em estilo neogótico, foi destruído. Quer nas construções públicas, quer mesmo nas habitações oitocentistas foi o estilo neoclássico que prevaleceu, mas ainda assim há algumas excepções, de que o chamado Quartel dos Mouros é o melhor exemplo. Destina‐se a acolher a Polícia Marítima da Barra, pois fica estrategicamente colocado junto da entrada do Porto Interior. Curiosamente, não foi o neogótico a ser adotado, mas algo que fica entre o neo‐árabe e o neo‐indiano então em voga nas colónias britânicas e em cidades como Bombaim e Kuala Lumpur. A fachada extensa e a varanda corrida em volta tornam‐no bem adaptado ao clima, sendo comum, no tempo, gabar‐se a sua boa ventilação.
O Quartel dos Mouros de Macau foi projetado por um arquiteto italiano de nome Cassuto, e a inauguração solene teve lugar a 15 de agosto de 1874. Aqui ficou a Companhia dos Mouros do Corpo da Polícia de Macau, e tinha capacidade para alojar duzentos homens.
No entanto, pelo que podemos ver numa gravura publicada em 1887 na revista lisboeta O Ocidente, e em cuja legenda se diz ser a planta do barão do Cercal, o projeto inicial era mais ambicioso. A diferença fundamental reside no facto de não se ter construído uma grande cúpula de aparato, no centro da fachada principal, e outras duas mais pequenas que deveriam ficar sobre os corpos extremos dessa mesma fachada.

Loading…