Forte de Mong-Ha

Forte de Mong-Ha

Macau, Macau, China

Arquitetura militar

O Forte de Mong‐Ha foi uma das últimas estruturas defensivas a ser construída em Macau. A sua edificação começou em 1849, integrada no plano do governador Ferreira do Amaral para a autonomização do território em relação à China. O monte que lhe deu o nome fica logo após o fim do istmo que liga o território ao continente. Dada a sua forte inclinação, obrigava a que todo o trânsito passasse por uma das duas estreitas nesgas de terra, que ficavam livres a oeste e a leste. Ergue‐se a cinquenta e seis metros de altitude e permitia o tiro de cobertura de toda a zona que ficava aquém das Portas do Cerco.
Naquele ano, o Governo de Macau pensava estar iminente um ataque à cidade, pelo que o forte inicial teve que ser feito muito rapidamente, ganhando naturalmente um cariz precário, mas não melhorado significativamente nos anos seguintes, até por causa da morte do próprio governador Ferreira do Amaral. Foi preciso esperar por 1864 para ser iniciada a construção que chegou até hoje, e demorou dois anos a concluir. Algumas outras obras feitas no século XX, nomeadamente em 1925, obliteraram o seu carácter.
A planta tem genericamente a forma de um retângulo a que foi acrescentada uma bateria circular no extremo de sudoeste, que inclui um depósito. Em cada um dos cantos da cortina noroeste há uma plataforma para as peças de artilharia. A área total do forte não ultrapassa os seiscentos e cinquenta metros quadrados.
A porta de entrada fica virada a sul. Daqui era também possível defender a praça com armas ligeiras, através de frestas abertas no paramento da cortina. A funcionalidade do Forte de Mong‐Ha estava intimamente relacionada com o comportamento do Forte de D. Maria II, com o qual cruzava fogos.

Loading…