Bairro Craveiro Lopes

Bairro Craveiro Lopes

Praia [Praia de Santa Maria], Ilha de Santiago, Cabo Verde

Habitação

O bairro Craveiro Lopes localiza-se na cidade da Praia, na ilha de Santiago, na “Achadinha”, toponímia com que começa por ser identificado em 1951. Trata-se de um bairro para a população mais desfavorecida que habita os subúrbios informais da capital. O plano urbano é comissariado ao Gabinete de Urbanização do Ultramar como resposta à escassez de habitação popular , a exemplo dos bairros económicos de Lisboa. Os primeiros esboços terão chegado à Praia, remetidos de Portugal, nesse mesmo ano. Se o urbanismo é concebido pelos técnicos metropolitanos, as casas e equipamentos têm a marca estilística da Repartição Provincial dos Serviços de Obras Públicas e Transporte Provinciais, geralmente designada Brigada de Obras Públicas de Cabo Verde, dirigida pelo engenheiro Tito Esteves.

O bairro ocupa toda a área da Achadinha, morfologicamente um planalto de pequena dimensão, a Oeste do plateau. É implantado sobre um rectângulo, de malha ortogonal, estruturado a partir de duas ruas principais que se cruzam formando um largo, também rectangular. Para lá dos diferentes conjuntos de residências unifamiliares, o programa inclui um posto escolar a sul (1956) e, ladeando o largo, uma igreja a oeste (1954) e um posto sanitário a este (1956). Um chafariz (1955) em forma de obelisco, no centro da praça, garante o acesso a água potável. As obras iniciam-se em 1952, e as primeiras casas são inauguradas um ano depois. A consagração da igreja a Santa Filomena acaba por tornar este num dos seus nomes. Em 1955 ganha a designação que mantém até hoje: Bairro Craveiro Lopes.

A arquitectura deco caracteriza todos os elementos construídos do bairro, facto que remete para os serviços locais de Obras Públicas, por ser esta a linguagem mais praticada entre os seus técnicos. A qualidade urbana do bairro faz com que a população mais desfavorecida seja substituída por funcionários públicos. As casas construídas a partir de 1956 refletem essa nova condição. Em 1962, o bairro ainda se encontra em construção. Atualmente, apesar das casas terem sido muito alteradas, mantém-se o seu valor de conjunto.

Ana Vaz Milheiro

(Projeto GCUC, FCT ref. PTDC/AUR-AQI/104964/2008)

Loading…