Auditório‐Galeria de Arte (atual Casa da Cultura)

Auditório‐Galeria de Arte (atual Casa da Cultura)

Beira, Sofala, Moçambique

Equipamentos e infraestruturas

A ideia da construção do Auditório foi do jornalista e poeta Nuno Bermudes, em 1961. Posteriormente, em 1962, a Câmara Municipal da Beira nomearia uma comissão administrativa que lançaria o concurso para o projeto do referido edifício e elaboraria os seus estatutos, permitindo‐lhe a existência legal. A escolha do projeto esteve envolta em polémica. Ao contrário do parecer expresso pela "comissão de técnicos", a comissão administrativa escolheu o projeto da autoria de Paulo de Melo Sampaio, Bernardino Vareta Ramalhete e José Augusto Moreira. Em 1964 foram aprovados os seus estatutos (portaria n.o 17.938), sendo este constituído por três associações locais - Grupo Dramático Actor Eduardo Brazão, Cine-Clube e Centro de Cultura e Arte. A Câmara Municipal da Beira teve um papel determinante na construção, oferecendo um terreno com a área de 3.600 metros quadrados e a areia necessária aos aterros, dando assim início a um vasto movimento de apoio à obra. O Ministério do Ultramar e a Fundação Calouste Gulbenkian concederam subsídios, tendo a população da cidade contribuído com a maior parte da verba necessária. A primeira estaca viria a ser cravada em 20 de novembro de 1965, tendo ocorrido a sua inauguração (não oficial) em 6 de maio de 1972. Tem um enorme mural na fachada, de Malangatana Valente Ngwenya.

Loading…