Almoxarifado (atual Sede da Casa do Artista)

Almoxarifado (atual Sede da Casa do Artista)

Beira, Sofala, Moçambique

Equipamentos e infraestruturas

Foi o primeiro edifício de alvenaria construído na cidade da Beira, em 1897, num local onde existiam algumas barracas de madeira e zinco, pertença do governo. O almoxarifado esteve ali instalado até 1903, altura em que se alojou "provisoriamente" na repartição dos Correios (o edifício onde anteriormente funcionava tinha ardido, no seguimento do incêndio do Beach Hotel, em janeiro de 1902), tendo lá permanecido até 1929. A partir de 1906, o diretor dos Correios pretendeu que as "quatro portas voltadas para o nascente" fossem transformadas em janelas envidraçadas. Propôs ainda uma mudança mais radical, com o acrescento de um primeiro andar, destinado a casa de habitação, a fim de alojar o pessoal da repartição. Em meados da década de 1960, o prédio estava novamente na posse do almoxarifado. O historiador Alexandre Lobato, tentando salvaguardar o edifício, pensou instalar nele uma delegação do Arquivo Histórico de Moçambique. Procurou-se igualmente transferir para ali o Museu Municipal, desanexando-o da Biblioteca [Biblioteca Calouste Gulbenkian, inaugurada a 04.01.1965], onde então se encontrava instalado. Recentemente, iniciaram-se obras para o adaptar a estabelecimento comercial. Por pressão da associação "Casa do Artista", que procurava evitar que se cometessem danos irreparáveis, foi-lhe entregue para que ali se instalasse a sua sede.

António Sopa

Loading…