Convento de Santo Agostinho

Convento de Santo Agostinho

Shiraz [Xiraz, Chiraz], Golfo Pérsico | Mar Vermelho, Irão

Arquitetura religiosa

A província de Fars é uma das trinta províncias do Irão, a sua capital é a cidade de Shiraz. A província limita, ao norte, com as províncias de Markazi, Qom e Semnan; ao sul, com a de Fars e as de Kohkiluyeh e Buyer Ahmad; a este, com a de Yazd; e a oeste, com a de Lorestan e as de Chahar Mahaal e Bakhtiari. Esta cidade foi fundada no século VII, sendo capital da Pérsia durante a segunda metade do século XVIII. De acordo com a descrição de Nicolau de Horta Rebelo, a cidade de Xiraz estava situada "junto de qua tro montes", partindo de cada um deles os caminhos para Ormuz, Aveza, Aspão e Jest. Tratava-se de uma povoação composta por cerca de 13.000 fogos, onde se podia encontrar uma diversidade de povos, tais como: persas, árabes, turcos, brâmanes, venezianos, gregos, arménios, húngaros, judeus e portugueses. Ao comércio não faltavam mercadorias em abundância, designadamente produtos alimentares, roupas, pedrarias, panos finos, brocados e tecidos de seda diversificados. Após a tomada da Fortaleza de Ormuz pelos persas, em 1622, o número de cristãos que se deslocaram para a cidade de Xiraz foi significativo. Neste âmbito, o prior do Convento de Santo Agostinho da cidade de Esfahan, padre Frei Sebastião de Jesus, considerando a necessidade da administração dos sacramentos aos cristãos, enviou dois religiosos para a cidade de Xiraz, com a devida autorização do xá Abbas, tratando-se dos padres Frei Ambrósio dos Anjos e Frei Manuel da Madre de Deus, que chegaram à cidade em agosto de 1623.
Relativamente à fundação deste convento dos frades agostinhos na referida cidade, Frei Ambrósio dos Anjos menciona o seguinte: "Escolhemos ua horta junto a elrei, mui grande, com suas casas mui fermo sas no meio; consertámolas e fizemos a igreja muito capaz e decente, em que entrámos em dia de Nossa Senhora das Neves e lhe dedicámos a casa [...] e lhe pusemos a invocação de Santa Maria Maior". Depois da descrição desta igreja, o autor acrescenta uma informação muito interessante acerca da presença portuguesa e da religião cristã nesta região, afirmando que se contavam três igrejas, a saber, "a de Aspão, a de Baçorá e esta de Xiraz, nas quais se celebram os ofícios divinos com tanta quietação como em Goa". Após a década de 60 do século XVII, a documentação não refere mais informação sobre o convento da Ordem de Santo Agostinho de Xiraz, podendo levantar-se a hipótese de os padres agostinhos terem abandonado o con vento neste período. Lamentavelmente, acerca da estrutura edificada subsistente deste convento, na atualidade nada se pode acrescentar, dada a ausência de informação.

Ana Margarida Martinho

Loading…