Fortaleza

Fortaleza

Diba al Hisn [Doba, Dibba], Golfo Pérsico | Mar Vermelho, Emiratos Árabes Unidos

Arquitetura militar

Cidade costeira, localizada no nordeste dos Emiratos Árabes Unidos, no Golfo de Omã, confrontando a norte a Península de Musandam. Nesta localidade erguiase a primeira fortaleza portuguesa da zona mais próxima do Estreito de Ormuz, conquistada em 1624 por Rui Freire de Andrade, e que fazia parte da estrutura militar de Mascate.
Esta fortaleza era a mais complexa de entre as que complementavam Mascate. Apresentava um duplo circuito de muralhas com baluartes, bem como as fortificações anexas de Dubo e Mocombira, situadas em cada um dos lados da fortaleza, abrindose para a praia. De acordo com a ilustração de Pedro Barreto de Resende, autor dos desenhos do Livro das Plantas de Todas as Fortalezas, Cidades e Povoações do Estado da Índia Oriental, o edificado apresentava uma planta quadrada, dotada de quatro baluartes de figura circular nos ângulos. O circuito exterior de muralhas tinha cinco baluartes, em que um deles se situava a meio do pano de muralha localizado a leste, tendo a funcionalidade de porta e de corpo da guarda. A partir do ângulo norte da muralha exterior nascia uma cerca irregular, que protegia os flancos da fortaleza. A cerca apresenta uma alternância de bastiões de forma circular com ângulos formados apenas com a junção de panos. A descrição de António Bocarro refere, relativamente ao circuito interior, que "cada lanço de muro tem sete braças de comprimento, quatro de altura e onze palmos de largo [...] cada lanço da cerca exterior tem vinte e cinco braças de comprimento e duas braças e meia de altura". Segundo este autor, o material de construção da muralha interior era a pedra, enquanto no circuito exterior refere o adobe. Em 1635, a fortificação de Dubo estava em construção, faltando apenas umas braças para terminar o circuito dos muros. Mocombira tinha muros de adobe e ficava no extremo do palmar que envolvia Doba. Ainda de acordo com António Bocarro, a fortaleza e as duas fortificações anexas foram mandadas edificar por Rui Freire de Andrade, depois de ter conquistado e demolido a que anteriormente existia. A fortaleza assumia uma importância estratégica significativa, sendo imprescindível no sistema militarcomercial complementar à fortaleza de Mascate, dado que, em caso de necessidade, era fácil a comunicação por terra, pois muitas vezes não era possível a navegação devido às condições climatéricas adversas. O forte possuía guarnição própria e a aldeia intramuros teria alcançado uma população de cerca de mil vizinhos. No espaço que medeia os dois circuitos de muralhas localizam-se as casas destinadas à guarnição. De acordo com a imagem de satélite, a atual Fortaleza de Doba apresenta uma configuração de planta retangular, observando-se nos ângulos do pano de muralha orientado a leste dois baluartes de desenho circular. O interior da fortaleza parece encontrar-se aterrado e no seu centro ergue-se uma torre de planta retangular. Pode levantar-se a hipótese de que a muralha exterior subsistente tenha como pre-existência a fortaleza construída pelos portugueses no século XVII (Dubo e Mocombi).

Ana Margarida Martinho

Loading…