Forte da Guia

Forte da Guia

Macau, Macau, China

Arquitetura militar

O Forte de Nossa Senhora da Guia está no ponto mais elevado de Macau, a noventa e quatro metros de altitude. Foi construído antes de 1622, fora dos limites da cidade primitiva, e tinha como objetivo principal a defesa contra eventuais ataques dos chineses. É provável que, durante o ataque holandês desse ano, Francisco de Mascarenhas tenha colocado aqui uma guarnição e feito trabalhos defensivos, de modo a adequar o terreno à futura função. Esta posição permitia‐lhe ser também um local de observação privilegiado, dado que se pode ver daí quase toda a península e atingir com fogo de artilharia grande parte dos seus pontos vulneráveis.
Em 1634 ou 1635, e segundo o cronista António Bocarro, era constituído apenas por um baluarte com cinco canhões, mas foi demolido pelo capitão‐geral Manuel da Câmara Noronha logo em 1636, que levantou outro mais de acordo com a evolução do armamento. Ficou então com uma superfície maior, uma área aproximada de oitocentos metros quadrados, tendo‐se terminado os trabalhos essenciais, que decorreram sob a orientação do capitão António Ribeiro Raia, em 1638. O plano inicial tinha a forma de um trapézio, com quinze abertas no adarve para peças grossas e portão de entrada na cortina norte.
No interior possui ainda uma elegante capela anterior a 1622, que foi reconstruída no fim do mesmo século. Teve casa do capitão, aquartelamentos para a tropa, armazéns, paiol e uma cisterna. Das quatro torres feitas com tijolo que existiam, hoje há apenas duas. O aparelho das muralhas e baluartes é de alvenaria grossa e argamassa, com ligeiro esbarro, chegando as cortinas atualmente aos seis metros.
Em 1865, o governador José Rodrigues Coelho do Amaral mandou ali construir um grande farol, o primeiro existente na costa da China, que ficou até hoje como um dos emblemas da cidade de Macau.

Pedro Dias

Loading…