Capela dos Passos

Capela dos Passos

Ouro Preto, Vila Rica, Minas Gerais, Brasil

Arquitetura religiosa

Essas pequenas capelas, que abrigam um altar, foram construídas por iniciativa da Irmandade do Senhor Bom Jesus dos Passos, para serem utilizadas durante a procissão realizada no Domingo de Ramos (único momento em que ficam abertas), perpetuando uma antiga tradição europeia. A confraria foi oficialmente constituída em 1715. Nos primeiros tempos, foram utilizadas estruturas efémeras, que eram montadas em vários pontos do itinerário da procissão pelas ruas de Vila Rica. A partir de 1728, começaram a ser construídas capelas fixas, sendo que Manuel Francisco Lisboa (pai do Aleijadinho) aparece nos Livros da Irmandade dos Passos como responsável pela fatura de algumas delas. Em 1786, vários Passos encontravam‐se bastante arruinados, e a irmandade decidiu refazê‐los em ruas então mais frequentadas, como a Direita, Rosário, Ponte Seca e São José. Outras capelas foram erguidas somente no século XIX. O Passo da Ponte Seca foi dos primeiros a ser reconstruído (1788‐1792), com obra arrematada por António de Barros. Esta construção singela (telhado em duas águas, pilastras de canto arrematadas por coruchéus; óculo no centro da empena) distingue‐se dos demais Passos pela sua situação, junto a uma acentuada curva da rua, sem qualquer edificação nas suas laterais. Internamente, havia uma tela a óleo do mestre Ataíde representando a cena de Jesus com Verónica, que foi levada para o museu da Matriz do Pilar. O Passo do Rosário situa‐se na rua que conduz ao largo de mesmo nome (atual Rua Getúlio Vargas), e corresponde ao Passo da Flagelação. Sua implantação, na extremidade de uma residência, numa esquina angulosa e estreita, produz um efeito visual bastante pitoresco. O Passo da Rua de São José tem a imagem do Cristo da Cana Verde (cena da Coroa de Espinhos), e o terreno para sua construção foi doado em 1808. Data da mesma época a reconstrução do Passo da Praça Tiradentes; este não constitui uma edificação anexa, e sim um cómodo da residência localizada na esquina da Rua Conde de Bobadela (antiga Rua Direita do Pilar). Possui uma imagem pequena do "Cristo com a Cruz às Costas", que parece datar do século XVIII. O Passo de António Dias situa‐se na antiga Rua Direita da Matriz de Nossa Senhora da Conceição, e foi construído por volta de 1843, pelo capitão‐mor José Bento Soares, num estilo típico do século XIX (porta com verga em arco pleno, bandeira envidraçada, frontão de linhas retas, pináculos piramidais). Estes cinco "Passos" foram classificados pelo IPHAN em 1939, e restaurados no início da década de 1980.

Loading…