Capela de Nossa Senhora da Penha

Capela de Nossa Senhora da Penha

Vera Cruz, Bahia, Brasil

Arquitetura religiosa

Na foz do Rio da Penha está a Capela de Nossa Senhora, parte integrante da antiga fazenda do mesmo nome. Implantada à beira‐mar, quase na praia, ocupa um dos lados do extenso terreiro onde se localiza também o sobrado da fazenda e de onde se avista, no horizonte, o perfil de Salvador. Construída em finais do século XVII, segue a tipologia das capelas rurais que Lúcio Costa data do segundo período jesuítico, com nave e capela‐mor perfeitamente diferenciadas em altura e largura. De facto, em 1689 o padre José de Andrade e Sá doou ao Colégio Jesuíta de Salvador a Fazenda Nossa Senhora da Penha, estabelecendo, entre outras condições, que fosse construída a capela, para a qual já havia pedra de cantaria disponível. Com a expulsão dos jesuítas, fazenda e capela passam à coroa. A incúria e a falta de mecanismos de proteção fazem com que o templo se encontre em ruínas, apesar de ser notável pelos elementos presentes no seu repertório arquitetónico. O primeiro deles é um grande óculo ou rosácea, localizado entre as pequenas jane‐ las do coro. De acordo com Azevedo, esse é um elemento arcaizante de influência românica, que tem paralelo em capelas italianas e portuguesas. Modernizantes são a torre de coroamento piramidal que não comparece nas primeiras construções jesuíticas - mas é usada pelos franciscanos, pela primeira vez em 1660, no Convento de Cairú - e o corredor lateral, que só viria a ser utilizado nas igrejas matrizes, no início do século XVIII. Finalmente, as seteiras existentes na fachada voltada para o mar configuram a capela como uma construção fortificada, ocorrência raríssima no Brasil.

Ana Maria Lacerda

Loading…