Palácio dos Arcebispos

Palácio dos Arcebispos

Salvador, Bahia, Brasil

Equipamentos e infraestruturas

Assentado majestosamente na borda da falha que divide Salvador em dois níveis, o Palácio dos Arcebispos volta sua frente para a cidade, enquanto a velha Igreja da Sé, demolida em 1933, à qual se ligava por uma passagem elevada, corajosamente voltava seu rosto para o mar. Do alto da falha, a vista sobre a baía é deslumbrante. Talvez por isso D. Sebastião Monteiro da Vide, tendo recebido, por provisão régia de 1705, licença para levantar o palácio no Terreiro de Jesus, dois anos depois tenha trocado o terreno do Terreiro por este, junto à Sé, iniciando então a obra, que foi concluída em 1715. O partido é de solar urbano brasonado, com três pavimentos e subsolo. A planta compõe‐se por quatro alas da mesma altura, dispostas em volta de um pátio para onde se abrem duas galerias. Esta disposição mos‐ tra uma influência renascentista tardia, tanto na disposição do pátio como na perspectiva enfilade, criada pelo alinhamento das portas nos salões intercomunicantes. Destacam‐se: a portada monumental em mármore português - com pilastras apaineladas que sustentam entablamento e frontão curvo, interrompido, encimado pelo brasão de armas de D. Sebastião Monteiro da Vide quando cónego - ; os balcões de púlpito que guarnecem as janelas do andar nobre e os forros em caixotões, usados até à primeira metade do século XVIII.

Loading…