Ilhéus

Lat: -14.797270370461000, Long: -39.035515213505000

Ilhéus

Bahia, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

A região era ocupada pelos tupinambás no início do século XVI. Sua colonização se inicia com a criação da capitania, em 1535, que é doada a Jorge Figueiredo Correia. Este não chega a vir ao Brasil, mas envia o espanhol Francisco Romero, que pacifica os índios. A sede da capitania é instalada, em 1536, na Ilha de Tinharé, onde está o Morro de São Paulo, mas logo transferida para a foz do Rio Cachoeira. A vila de São Jorge dos Ilhéus nasce no morro de São Sebastião, e aos poucos vai‐se transferindo para a planície. A principal atividade económica na época era a extração de pau‐brasil. Em 1537, o donatário doou uma sesmaria a Mem de Sá, terceiro governador‐geral, em cujas terras os jesuítas instalam o primeiro engenho de açúcar, mas esta atividade não progrediu devido aos ataques dos aimorés. Com a morte do donatário, em 1551, a capitania passa a outras mãos. Em 1556, é criada a freguesia. O século XVII e início do seguinte é de marasmo. O gado foi introduzido também sem sucesso na comarca de Ilhéus, em 1783. Em meados do século XVIII, são plantadas as primeiras mudas de cacau, trazidas do Pará. Mas a cacauicultura se desenvolveu de forma lenta no início do século XIX, através de dois pontos: Ilhéus, de onde se estendeu para o interior e para o norte, e o Vale do Jequitinhonha, de onde passou para os municípios do Extremo Sul da Bahia. A vila é elevada a cidade em 1881, quando o cacau começa a tomar força. O centro da cidade está numa ilha formada pelos rios Almada, Cachoeira, Itacanoada e um canal aberto do século XIX.

Arquitetura religiosa

Loading…