Natal

Lat: -5.794478003004600, Long: -35.210952996734000

Natal

Rio Grande do Norte, Brasil

Enquadramento Histórico e Urbanismo

No ano de 1535, uma frota comandada por Aires da Cunha, a serviço do donatário João de Barros e do rei de Portugal, chegou às terras do atual estado do Rio Grande do Norte. A colonização foi difícil, diante da resistência dos índios potiguares e de piratas franceses traficantes de pau‐brasil. No dia 25 de dezembro de 1597, sessenta e dois anos após a frustrada tentativa de Aires da Cunha, uma esquadra comandada pelo almirante António da Costa Valente e integrada por Francisco de Barros Rego, Mascarenhas Homem, Jerónimo de Albuquerque e Santiago (O Grande), entra na barra do Rio Potengi. No dia 6 de janeiro de 1598, começaram a construção de um forte sobre arrecifes situados nas redondezas da chamada Boca da Barra. A edificação foi chamada de Fortaleza da Barra do Rio Grande (conhecida popularmente como Forte dos Reis Magos ou Fortaleza dos Reis Magos), por ter sido iniciada no dia consagrado aos Santos Reis. O forte foi concluído no dia 24 de junho do mesmo ano e, nas circunvizinhanças, logo se formou um povoado chamado de "Cidade dos Reis". Tempos depois mudou de nome, passando a se chamar "Cidade do Natal". Com a presença holandesa na região, a vida da cidade começou a evoluir. Durante o domínio holandês, aquele forte passou a ser chamado de Keulen. A cidade do Natal teve crescimento lento nos primeiros séculos de sua existência. Em 1805, Natal tinha apenas 6.393 habitantes. No último ano do século XIX, a cidade possuía uma população de mais de 16.000 pessoas. As primeiras atividades urbanas tiveram início no Bairro da Ribeira, situado na parte baixa da cidade, próximo à foz do Rio Potengi, expandindo‐se depois na direção do atual centro, a Cidade Alta. Com o advento da Segunda Guerra Mundial, a cidade experimentou grande crescimento. Pela sua privilegiada posição geográfica, localizada no litoral nordestino, na chamada esquina do continente ou esquina do Atlântico, a cidade evoluiu com a presença de contingentes militares brasileiros e aliados (particularmente norte‐americanos), consumando‐se o seu progresso com a construção das bases aérea e naval, local de onde as tropas partiam para o patrulhamento e para a batalha na defesa do Atlântico Sul, e na realização das campanhas militares no norte da África; factos esses que valeram à região o apelido de "Trampolim da Vitória". Depois disso, a cidade não parou de crescer e, no ano 1999, no seu aniversário de 400 anos, Natal contava com 700.000 habitantes. A cidade é um pólo de turismo no Nordeste.

José Luiz Mota Menezes

Arquitetura militar

Loading…